25 de out de 2016

16 de out de 2016

19 de ago de 2016

SETRI passa operar para a NSF INTERNATIONAL

A NSF International contrata Marcos Bensoussan e Fernando Bensoussan para funções fundamentais do programa Building Water Health
Especialistas em segurança da água e planos de gerenciamento da água, os Bensoussan auxiliarão no desenvolvimento do Centro de Excelência da NSF International em segurança da água





ANN ARBOR, Michigan, EUA — A organização internacional de segurança de saúde pública, NSF International, contratou dois renomados especialistas em segurança da água em edificações e indústrias para somar ao Centro de Excelência Building Water Health da NSF. Marcos Bensoussan junta-se à NSF como Strategic Business Manager (Gerente de Negócios Estratégicos), Building Water Health; e Fernando Bensoussan, como Risk Assessor (Avaliador de Risco), Building Water Health. Ambos são especialistas internacionais em plano de segurança da água em edificações e indústrias e gerenciamento da água e estarão à frente do Centro que fornece informações e recursos valiosos sobre segurança da água para proprietários de edificações, profissionais da indústria e órgãos regulatórios. A importância disso deve-se à existência de microrganismos, como a Legionella, que podem contaminar sistemas hidráulicos de edificações e indústrias e, com o tempo, se multiplicarem causando doenças e até mesmo mortes.

“Marcos e Fernando Bensoussan trazem quase 50 anos de experiência conjunta para a NSF International”, diz Clif McLellan, Vice-Presidente da Divisão Água da NSF International. “Somando-se ao legado de mais de 50 anos para a segurança de sistemas de água para a NSF, o conhecimento e expertise dos Bensoussans em avaliação de risco, gerenciamento e planos de segurança da água em edificações e indústrias irão fortalecer nossas ofertas de serviços mundiais em Building Water Health”.

Em suas novas funções, Marcos Bensoussan ficará responsável pela implementação do plano mundial do Centro de Excelência da NSF International Building Water Health, liderando treinamentos, equipes técnicas e de vendas e desenvolvendo o relacionamento com clientes. Fernando Bensoussan é responsável pelo desenvolvimento técnico de planos de segurança,e ele irá realizar o treinamento da equipe técnica e pela execução de avaliações de riscos.

Marcos e Fernando Bensoussan também ajudarão a desenvolver serviços de segurança e qualidade em edificações, incluindo segurança da água e qualidade do ar na América Latina, a partir de suas instalações em São Paulo, Brasil. Esses serviços incluem:
·         Planos de segurança da água para edificações e para grandes indústrias como farmacêutica, biotecnologia, alimentos e bebidas. Esses planos incluirão medidas de controle, monitoramento e ações corretivas para riscos associados a todos os tipos de sistemas de águas (prediais, processuais, utilidades) de uma edificação específica. O plano baseia-se em uma avaliação de risco que identifica perigos e eventos perigosos que podem causar mal às pessoas por meio do contato direto ou indireto com a água, seja por ingestão, aspiração ou contato com a pele.
·         Avaliações de risco para Legionella a fim de identificar perigos associados à Legionella em sistemas de águas (prediais, processuais, utilidades) de uma edificação ou indústria específica. A NSF avaliará o risco desses perigos e fará recomendações para eliminá-los ou controla-los.
·         Avaliações de risco para qualidade do ar de interiores (específico para o Brasil). A NSF identificará os perigos associados a qualidade do ar relacionada ao ambiente interior e a sistemas de climatização de uma edificação ou indústria específica. A NSF avaliará esses perigos como riscos e fará recomendações para eliminar ou controlar esses riscos.

Antes de ingressarem na NSF International em agosto de 2016, Marcos e Fernando Bensoussan eram sócios da SETRI, uma empresa de consultoria que fornece serviços de minimização de riscos e que auxilia empresas a criarem seus planos de segurança da água. Marcos atuava como Presidente e Fernando como Diretor Técnico.

Marcos Bensoussan possui 40 anos de experiência em segurança de sistemas de água e fundou a SETRI em 2008. Participou de diversos congressos no Brasil e no exterior sobre Legionella e planos de segurança da água. Ele desenvolveu uma metodologia HACCP de avaliação de risco para Legionella, bem como um modelo de plano de segurança da água para edificações e indústrias com base nas diretrizes e métodos da Organização Mundial de Saúde. Publicou e editou os livros Legionella na visão de especialistas (2014) e Plano de Segurança da Água na visão de especialistas (2015). Marcos é membro do comitê da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para a Norma de prevenção da Legionella em sistemas de águas.

Antes de fundar a SETRI, Marcos trabalhou na NALCO por 31 anos, exercendo diversas funções de gestão em marketing, vendas, garantia de qualidade e educação/treinamento. Desenvolveu mais de 50 novos produtos para tratamento de água potável e industrial e mais de 20 serviços diversos relacionados a sistemas de água e qualidade do ar interior. Foi membro fundador do Green Building Council Brasil e ajudou a introduzir a certificação LEED no país. Ele detém uma patente para limpeza e higienização de sistemas de climatização.

Fernando Bensoussan é um avaliador de risco de Legionella qualificado e colaborou no desenvolvimento do modelo do plano de segurança da água para edificações e indústrias. É membro e colaborador em dois comitês da ABNT: Norma para Instalações Prediais de Água Quente e Fria e a Norma para prevenção da Legionella em sistemas de água. Fernando é autor de capítulos nos livros Legionella na visão de especialistas (2014) e Plano de Segurança da Água na visão de especialistas (2015), além de ter escrito artigos para publicações comerciais.

Para obter mais informação sobre o desenvolvimento de planos de segurança da água em edificações e indústrias, entre em contato com Dann Holmes em buildingwaterhealth@nsf.org ou +1-734-214-6222.

Nota do editor: Para agendar uma entrevista com um especialista em saúde da água predial da NSF International, entre em contato com Liz Nowland-Margolis em media@nsf.org ou +1 734-418-6624.

Sobre a NSF International: A NSF International é uma organização internacional e independente que redige normas, testa e certifica produtos para as indústrias de materiais de construção, alimentos, água, ciências da saúde e bens de consumo para minimizar efeitos negativos à saúde e proteger o meio ambiente (nsf.org). Operando em mais de 165 países, a NSF International é credenciada pelo American National Standards Institute (ANSI) e atua como um Centro de Colaboração para a Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial de Saúde em Segurança Alimentar, Qualidade de Água e Qualidade de Ambiente Interno.

Os serviços internacionais de Água da NSF incluem ensaios, certificações e auditorias para materiais e químicos para tratamento de água municipal, sistemas de tubulações plásticas, equipamentos e acessórios hidráulicos, pontos de consumo e de entrada em sistemas de água e filtros.


Sobre a SETRI: A SETRI (www.setri.com.br) foi fundada em 2008 em São Paulo, Brasil, e presta serviços para todo o mercado latino americano para minimizar riscos à saúde. A SETRI desenvolveu o processo do Plano de Segurança da Água para edificações e indústrias utilizando a metodologia HACCP e tendo por base as diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS). A SETRI publicou dois livros: Legionella na visão de especialistas e Plano de segurança da água na visão de especialistas. A SETRI é pioneira na América Latina em Avaliação de Risco da bactéria Legionella com a metodologia HACCP.

MARCOS BENSOUSSA mbensoussan@nsf.org
FERNANDO BENSOUSSAN ffonseca@nsf.org

18 de ago de 2016

SETRI agora com a NSF INTERNATIONAL

NSF International Adds Water Experts to Grow NSF Center of Excellence for Building Water Health
Marcos Bensoussan and Fernando Bensoussan join NSF International
to improve building water quality and management plans

ANN ARBOR, Mich. — Global public health organization NSF International has hired two renown building water health experts to grow NSF’s Center of Excellence for Building Water Health. Marcos Bensoussan joins NSF as Strategic Business Manager, Building Water Health, and Fernando Bensoussan as Risk Assessor, Building Water Health. They are global experts in building water quality and water management plans, and will lead the Center which provides valuable information and resources about water safety for building owners, industry professionals and regulators. This is important because microorganisms like Legionella can enter building water plumbing systems and, over time, amplify to large numbers, causing illnesses or even death.

“Marcos and Fernando Bensoussan bring nearly 50 years of combined experience to NSF International,” says Clif McLellan, Vice President of NSF international’s Water Division. “Adding to NSF’s 50-year legacy in water systems safety, the Bensoussans’ knowledge and expertise in building water risk assessment, building water management and water safety plans will strengthen our global service offerings in building water health.”

In their new roles, Marcos Bensoussan will be responsible for implementing the global plan for the NSF International Building Water Health Center of Excellence, leading training, sales and technical staff, and developing customer relationships. Fernando Bensoussan is responsible for technical development of safety plans, and he will train technical staff and perform risk assessments.

Marcos and Fernando Bensoussan will also help to develop building safety and quality services, including water safety and air quality, in Latin America from their location in São Paulo, Brazil. These services include:
·         Water safety plans for buildings and for large industries like pharma biotech, food and beverage. These plans will contain control measures, monitoring and corrective actions for risks associated with all water systems (domestic, process, utilities) at a specific site. The plan is based on a risk assessment that identifies hazards and hazardous events that could harm people in direct or indirect contact with water through ingestion, inhalation and skin contact.
·         Risk assessments for Legionella to identify hazards associated with Legionella in water systems (domestic, process, utilities) of a specific site. NSF will evaluate these hazards as risks and make recommendations to eliminate or control these risks.
·         Risk assessments for indoor air quality (specific to Brazil). NSF will identify hazards associated with air quality related to the indoor environment and HVAC systems of a specific site. NSF will evaluate these hazards as risks and make recommendations to eliminate or control those risks.

Prior to joining NSF International in August 2016, Marcos and Fernando Bensoussan were co-owners of SETRI, a consulting company that provides risk mitigation services and helps companies create building water safety plans. Marcos served as President and Fernando as Technical Director.

Marcos Bensoussan has 40 years’ experience in water systems safety and founded SETRI in 2008. He has participated in several congresses in Brazil and abroad about Legionella and water safety plans. He developed a HACCP risk assessment methodology for Legionella as well as a water safety plan template for buildings and industries based on World Health Organization guidelines and methods. He published and edited the books Legionella in the View of Specialists (2014) and Water Safety Plan in the View of Specialists (2015). He is a member of the Brazilian National Standards Organization (ABNT) committee for the Standard for Legionella Prevention in Water Systems.

Prior to founding SETRI, Marcos worked for NALCO for 31 years, holding a variety of managerial roles in marketing, sales, quality assurance and education/training. He developed more than 50 new products for industrial and drinking water treatment and more than 20 different services related to water systems and indoor air quality. He was a founding member of the Brazil Green Building Council and helped introduce LEED certification in Brazil. He holds a patent for cleaning and sanitation for HVAC systems.

Fernando Bensoussan is a certified Legionella risk assessor and co-developed a water safety plan template for buildings and industries. He is a member and contributor to two ABNT committees: the Standard for Hot and Cold Water Systems and the Standard for Legionella Prevention in Water Systems. Fernando authored chapters in the books Legionella in the View of Specialists (2014) and Water Safety Plan in the View of Specialists (2015), and has written articles for trade publications.

For more information on developing building water safety plans, contact Dann Holmes at buildingwaterhealth@nsf.org or +1 734-214-6222.

Editor’s note: To schedule an interview with an NSF International building water health expert, please contact Liz Nowland-Margolis at media@nsf.org or +1 734-418-6624.

About NSF International: NSF International is an independent global organization that writes standards, and tests and certifies products for the building materials, food, water, health sciences and consumer goods industries to minimize adverse health effects and protect the environment (nsf.org). Operating in more than 165 countries, NSF International is accredited by the American National Standards Institute (ANSI) and is a Pan American Health Organization/World Health Organization Collaborating Center on Food Safety, Water Quality and Indoor Environment.

NSF’s Global Water Services include testing, certification and auditing for municipal water treatment components and chemicals, plastic piping systems, plumbing fixtures and fittings, point-of-use and point-of-entry water systems and filters.


About SETRI: SETRI (http://www.setri.com.br) was founded in 2008 in Sao Paulo, Brazil, and provides services to the entire Latin American market to minimize health risks. SETRI developed the process of the Water Safety Plan for buildings and industries using HACCP methodology and based on the guidelines of the World Health Organization (WHO). SETRI has published two books (Legionella in the View of Experts and Water Safety Plan in the View of Experts). SETRI is a pioneer in Latin America in the Risk Assessment of Legionella bacteria with the HACCP methodology.

MARCOS BENSOUSSAN mbensoussan@nsf.org
FERNANDO HENRIQUE ffonseca@nsf.org

9 de jun de 2016

SETRI = Certificação WELL




http://www.gbcbrasil.org.br/revistas.php?doc=RevistaGBC_edicao8.pdf

AVALIAÇÃO DE RISCO DA LEGIONELLA - RISK ASSESSMENT LEGIONELLA - WATER MANAGEMENT - SETRI

Atualmente para algumas pessoas os temas podem ser confusos ou diferentes. Após a publicação da ASHRAE 188 nos Estados Unidos, o tema LEGIONELLA ficou ainda mais preocupante e sem dúvida a mídia está dando mais destaque aos acontecimentos sobre o tema.
Os casos recentes em New York e Flint (Michigan) alertaram a todos dos grandes riscos da LEGIONELLA.
A SETRI já trabalha no tema desde 2008 desde o início da suas operações e introduziu o conceito do Plano de Segurança da Água para Edificações e Indústrias.
Hoje existem vários tipos de definição de um único propósito que é minimizar os riscos da LEGIONELLA:

* Risk Assessment for Legionella
* Water Management Program to Reduce Legionella

No programa da SETRI, o Water Management Program é parte do processo e não o processo único.

Dúvidas sobre o tema LEGIONELLA e ASHRAE 188 consulte a SETRI

www.setri.com.br


29 de abr de 2016

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA NA VILA DOS ATLETAS - OLIMPÍADAS RIO 2016

A SETRI foi escolhida para realizar o Plano de Segurança da Água na Vila dos Atletas Rio 2016.
A Vila é composta de 31 Edifícios, um parque e área de construções temporárias.








28 de mar de 2016

Researchers aim to understand 7 effects of Flint water crisis (Implementação do Plano de Segurança da Água)

Somente após o grave problema a solução será o Plano de Segurança da Água. Tema que a SETRI vem trabalhando desde 2009.
No Brasil a Portaria 2914 já menciona a necessidade de ser feito o Plano de Segurança da Água.
A SETRI é pioneira no Plano de Segurança da Água para Edificações e Indústrias desxe 2009.
Mari Copeny, 8, of Flint, stands with a protest sign during a #Justice4Flint rally at Wilson Park on University of Michigan-Flint's campus on Sunday, March 6, 2016 in downtown Flint. Jake May | MLive.com

FLINT, MI -- Using a portion of more than $100,000 in seed funding from the University of Michigan, experts will study the effects of the Flint water crisis, including the impact it has on youth perceptions and on population loss.
University of Michigan President Mark Schlissel announced in January that he would allocate $131,500 in donor gifts to get work started quickly. In all, seven projects were chosen for the funding.
Each project focuses on understanding ways the water crisis affected, and continues to affect, Flint and its residents. They'll work to understand the medical, psycho-social, developmental and economic impact of the water crisis, according to a report from the university
Research teams include experts from the School of Public Health, UM-Flint's School of Health Professions and Studies, Wayne State University and Michigan State University's College of Human Medicine.
Here is a description of each project.
The effects of the Flint water crisis on population dynamics: Will residents flee Flint?
Professors from the University of Michigan's Department of Earth and Resource Science will study how the water crisis affects the population in Flint. Researchers believe the population will drop more quickly than anticipated prior to the water crisis. The team will try to determine if the people considering leaving Flint vary geographically, demographically or socioeconomically from other residents.
Empowering Flint Youth through Digital Storytelling: A Case Study
Teachers at all three University of Michigan campuses will team up with Genesee Intermediate School District's Early College, teaching students digital journalism so that they can tell their and other people's stories about their experiences with the Flint water crisis.
Toward long-term water safety in Flint
Water quality experts from Wayne State University and U-M Flint and Ann Arbor campuses will study and assess the water system. They will develop a water safety plan and an implement strategy for long-term engagement about water quality.
Flint water crisis and the youth of Flint: What about our future?
A professor from the U-M School of Public Health will work with the Flint Odyssey House Health Awareness Center to host community forums with Flint youths. The goal is to find out what youth perspectives are on the water crisis, including what they think it means for their future and what they think needs to be done to protect their future. The team hopes to submit a proposal to National Institutes of Health, Centers for Disease Control and Prevention and relevant foundations.
Effects of Flint water crisis on vulnerable adults
Gerontology researchers will study effects of lead exposure on vulnerable populations, such as younger people with disabilities and older people. The team plans to use existing data to examine effects of lead exposure on people who were receiving home care services in the Flint area. The Valley Area Agency on Aging of Flint will work with researchers.
Planning for development of a longitudinal study of the impact of the water crisis on the Flint community
A six-person team of experts from The University of Michigan in Ann Arbor and in Flint, along with Michigan State University's College of Human Medicine will study the effects of lead on all ages of people. They will follow people from different age groups indefinitely to better understand the medical, psycho-social, developmental and economic impacts of lead over the course of a lifetime.
Flint water situation: Knowledge and perceived risks in two university samples
A sample of university students and employees will be asked to describe the sources of information they find the most credible. The team will study the subjects' understanding and attitudes toward perceived risks. Health psychology members from UM-Flint and UM-Dearborn will do the study.
http://www.mlive.com/news/flint/index.ssf/2016/03/expert_researchers_aim_to_unde.html

4 de mar de 2016

SETRI AVALIAÇÃO RISCO LEGIONELLA: VENEZUELA, COLOMBIA, EQUADOR, CHILE, ARGENTINA e em toda América Latina

SETRI realiza avaliação de Risco da bactéria LEGIONELLA em todos os países da América Latina.

www.setri.com.br

26 de fev de 2016

A certificação WELL e o case Setri A certificação WELL e o case SETRI

A certificação WELL e o case Setri Imagem enviada por pela Arq. Luiza Junqueira e Eng. Eduardo Straub A certificação WELL: Criada pelo IWBI – International Well Building Institute e lançada oficialmente em fevereiro de 2015, a certificação WELL é a primeira focada na saúde e bem-estar das pessoas e atua de forma consonante e complementar a outros processos de certificação ambiental, tais como o LEED ou o Living Building Challenge. Há anos, diversas pesquisas internacionais demonstram que o maior custo de uma edificação comercial são as pessoas que as habitam, chegando a representar 92% do total. Dos 8% restantes, 6% representam os custos de operação e manutenção e somente 2% os custos de projeto e construção. Neste sentido, o IWBI acredita que os edifícios não devem ser melhores apenas para o planeta, mas também para as pessoas que os habitam, aproveitando o ambiente construído como um veículo de melhoria da saúde humana, bem-estar e conforto, melhorando os padrões de qualidade de vida e consequentemente o desempenho dos ocupantes. Semelhante ao LEED, o WELL possui 102 características descritivas e de desempenho classificadas entre pré-condições (obrigatórias) e otimizações (opcionais), que somadas devem satisfazer uma quantidade mínima e determinar o nível da certificação que varia entre prata, ouro ou platina. O conjunto de características esta subdividido em 7 áreas de avaliação: Ar, Água, Alimentação, Iluminação, Saúde física, Conforto e Mente e juntas trazem benefícios para os principais sistemas funcionais do corpo humano: Cardiovascular, digestivo, endócrino, imunológico, tegumentar, muscular, nervoso, respiratório, ósseo e urinário. O processo de certificação é compreendido em 5 passos; registro do projeto na plataforma WELL online, envio da documentação, verificação de performance, certificação e recertificação. O processo de verificação de performance, diferentemente das outras certificações como o LEED, exige uma visita técnica ao projeto, na qual o Assessor well realiza inspeções visuais e testes de desempenho para avaliar a qualidade do ar e da água, níveis de ruído, iluminância e temperatura entre outros parâmetros, chamado de comissionamento WELL. Se os resultados do processo de verificação demonstrarem que o projeto atende a todos os requisitos, o projeto então está pronto para ser certificado. Além disso, com o objetivo de manter os mesmos níveis de qualidade projetual, manutenção e operação ao longo do tempo, o projeto deve ser recertificado a cada 3 anos.   Relacionado: Estudo avalia a Saúde, Bem-estar e Produtividade nos Escritórios    Exemplos de boas práticas em prol do bem-estar do ocupante do edifício O case Setri: O primeiro case em andamento da certificação WELL no Brasil é o escritório da SETRI em São Paulo.Localizado em um edifício existente, construído no início da década passada, e a tipologia escolhida para a certificação foi em Interiores Existentes. O projeto possui algumas particularidades e, para atendimento da certificação, uma serie de adaptações que não envolveram reformas e obras foram necessárias. Além disso, esse projeto é um dos menores em área construída deste tipo no mundo, o que por alguns momentos facilitou, mas em outros tornou o processo mais complexo. A sede da empresa SETRI é um escritório comercial de 50m2 de área total construída. A empresa possui somente três ocupantes, todos sócios, o que facilitou a implantação de alguns dos procedimentos e políticas que são exigidos pelo WELL. Além disso, por tratar-se de uma empresa cujo core business é desenvolver serviços ligados a saúde e qualidade de vida das pessoas dentro das edificações, a SETRI entendeu que esta seria uma boa oportunidade para demonstrar sua preocupação com o tema. Seu knowhow facilitou bastante na aplicação e atendimento dos requerimentos, principalmente no que tange a qualidade da água. Hoje o projeto encontra-se no segundo round de revisão da documentação, realizada pelo GBCI, mesma instituição que realiza a auditoria para a certificação LEED. Após esta etapa, o WELL exige que seja feito o comissionamento, ou verificação de performance, realizado por um assessor autorizado. Esse comissionamento ocorre no local do projeto e é verificado na prática o atendimento das adaptações nos sistemas prediais do projeto, nas políticas da empresa e em coletas de amostras para realização de testes de qualidade da água e do ar. O projeto da SETRI atende a todas as precondições, que são obrigatórias para atendimento minimo da certificação, bem como soma uma série de otimizações, que caso aprovadas resultarão em uma classificação ouro. Para adaptar o escritório, uma série de mudanças físicas e comportamentais, como a mudança de velhos hábitos, foram incorporadas. Algumas dessas mudanças foram: • Instalação de filtros mais eficientes no sistema de ar condicionado, associado a equipamentos que monitoram os níveis de umidade relativa do ar e acionam dispositivos que garantem a correção para níveis adequados de conforto, ora umidificando, ora fazendo a desumidificação; • Substituição de todas as lâmpadas, visando atender uma coloração mais confortável para o desenvolvimento de tarefas dentro de um escritório e para favorecer o rítmo circadiano, responsável pelo relógio interno existente em humanos e animais e sincronizar as funções fisiológicas no ciclo de 24 horas; • Instalação de iluminação de tarefa e ventiladores de mesa que proporcionam conforto e autonomia a cada um dos usuários; • Instalação de equipamentos que monitoram os níveis de qualidade do ar e iluminância; • Substituição de todos os produtos e equipamentos de limpeza e higiene pessoal, bem como treinamento dos ocupantes e equipe de limpeza para novos procedimentos de manipulação e uso desses produtos. A importância de treinar os ocupantes, bem como formalizar essas informações em políticas do escritório, garante que a informação perdure no projeto e não vá embora com as pessoas; • Instalação de novo mobiliário e adaptação do mobiliário existente para garantir melhor ergonomia e conforto além de mobiliário que garanta maior flexibilidade e movimentos físicos aos usuários como estações para trabalhos para tarefas de pé e pequenas bicicletas ergométricas embaixo das mesas; • Instalação de vegetação para maior contato do usuário com a natureza, incorporando os conceitos de biofilia; • Implantação de uma série de políticas que visam a mudança de hábitos de alimentação para padrões mais saudáveis, o incentivo a prática de atividades físicas e ao bem-estar, políticas de transporte alternativo, incentivo a práticas altruístas, a implantação de novos procedimentos de compras e descarte dos resíduos, entre outras Além dessas, uma série de outras adaptações foram implementadas no projeto e, um dos grandes diferenciais é que apesar dos testes de qualidade da água e ar serem necessariamente coletados pelo agente comissionador WELL e realizados por laboratórios acreditados, a SETRI se antecipou e realizou todos os testes necessários através dos mesmos laboratórios credenciados pelo WELL. Todos os testes atenderam aos níveis mínimos de qualidade exigidos. Exemplo de adaptação feito no escritório da SETRI   Entretanto, apesar de todos os esforços, uma das principais barreiras hoje para a viabilização desta certificação no Brasil, são os altos custos das taxas de registro, certificação e comissionamento pagas ao IWBI. Até junho de 2016 as taxas estão com valores reduzidos, visando incentivar novos projetos que busquem o WELL, mas essas taxas são proporcionalmente mais atrativas de acordo com a metragem construída, ou seja, quanto maior o projeto, mais barato por m2. Como o projeto da SETRI é particularmente pequeno, as taxas ficaram consideravelmente elevadas. Uma sugestão para que a certificação seja mais acessível em termos de custo para os padrões brasileiros é a de que os testes possam ser realizados nos mesmos laboratórios indicados pelo WELL e aceitos pela certificação sem a necessidade de se “importar” um profissional para realização desta tarefa. Além disso, o quanto antes o Brasil contar com profissionais capacitados para realizar esta tarefa de comissionamento, certamente este mercado se desenvolverá mais rápido. Além da questão financeira, ainda existem particularidades na certificação que não são habituais para a nossa realidade, tais como a necessidade de monitorar os níveis de ozônio no ar externo e oferecer produtos de alimentação de origem animal que possuam uma certificação classificada como Human Certified. Existem somente dois fornecedores deste tipo no Brasil e para produtos diferentes. Vale no entanto ressaltar que nenhuma dessas barreiras é um impeditivo real para a viabilização da certificação WELL no Brasil, e, se for implantada em um projeto certificado LEED ou que tenha sido construído seguindo práticas da construção sustentável, mais fácil sua obtenção. Como qualquer nova certificação, o WELL ainda esta em fase da maturação, porém deve evoluir rapidamente para minimizar as dificuldades e abranger melhor as diversidades de cada projeto e região. Não à toa, uma nova versão da norma, originalmente lançada em fevereiro de 2015, foi publicada em setembro do mesmo ano. A certificação WELL está na vanguarda e tem tudo para virar pratica padrão das empresas, principalmente daquelas que se preocupam de fato com a saúde e bem-estar de seus funcionários, e enxergam nisso a viabilização de reter talentos, reduzir turnovers a absenteísmo e aumentar a lucratividade. O Well já é realidade!   Por Arq. Luiza Junqueira e Eng. Eduardo Straub da StraubJunqueira A certificação WELL e o case Setri - 
SustentArqui -
 http://sustentarqui.com.br/dicas/a-certificacao-well-e-o-case-setri/ 

24 de fev de 2016

LEGIONELLA ESTÁ PRESENTE ONDE VOCÊ MENOS ESPERA

A SETRI trabalha com o tema Legionella desde 2008. Realizamos a avaliação de risco e o monitoramento da Legionella em nosso escritório, mesmo sem a produção de spray ou aerossol. Temos somente duas torneiras para uso de higiene, mas mesmo assim realizamos o monitoramento. Nossa água é suprida pela SABESP e não possui qualquer tratamento. O edifício onde estamos localizados, recebe a água, possui um reservatório inferior e um superior, deste ponto se distribui para todos os conjuntos comerciais.
Pois bem, nossa última avaliação apresentou resultado POSITIVO e ainda mais da LEGIONELLA SG1.
Vamos iniciar de imediato uma limpeza e desinfecção do sistema como um todo e solicitar ação do condomínio para o problema.
Este é uma alerta, pois qualquer sistema de água pode apresentar a LEGIONELLA e os riscos são enormes.
Que este caso sirva de mais um exemplo vivo de que a LEGIONELLA é e será um grande risco.


4 de fev de 2016

LEGIONELLA TRANSMISÃO DE PESSOA PARA PESSOA ?

Um estudo esté indicando a possibilidade da transmissão da LEGIONELLA de pessoa para pessoa, que até os dias de hoje nunca se havia comprovado. O caso em Portugal coloca todos especialistas em aviso pois este tema revoluciona o tema LEGIONELLOSE.

http://www.livescience.com/53595-legionnaires-disease-can-spread-between-people.html



Legionnaires' Disease Might Sometimes

 Spread Between People, 

One Case Suggests