7 de nov de 2014

ABNT NBR 15784

A norma em questão já está em uso e deve ser atendida por todos fabricantes de produtos químicos utilizados em tratamento de água para consumo humano.
Conforme Portaria 2914, os produtos devem seguir a norma.
Com isso, podemos ter mais segurança no uso dos químicos para tratamento de água de consumo humano.
Ontem dia 6/11/2014, foi realizado o III Workshop sobre o tema no auditório da SABESP. Este encontro foi uma iniciativa da ABES/CTQPQ.


A ABIQUIM já havia informado sobre o tema em março deste ano:

Na semana do Dia Mundial da Água, Comissão de Saneamento e Tratamento de Água da Abiquim explica benefícios da Norma ABNT NBR 15784:2014 – Produtos químicos utilizados no tratamento de água para consumo humano – Efeitos à saúde – Requisitos 

Neste sábado, 22 de março, é celebrado o Dia Mundial da Água. Nesta data, a Abiquim lembra a importância dos cuidados com a qualidade dos produtos químicos usados no tratamento de água. Para torná-la limpa e potável, são realizados diversos procedimentos físicos e químicos nas estações de tratamento. A fim de regular o uso dos produtos químicos utilizados nesses processos, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou a revisão da Norma NBR 15784, em 24 de fevereiro deste ano. 

“A norma estabelece requisitos e testes a serem executados nos produtos químicos utilizados no tratamento de água para consumo humano. O processo final é a criação de um documento que informa às empresas de saneamento a dosagem máxima de uso do produto no processo de tratamento da água”, explica um dos responsáveis pela elaboração da norma, Walter Otto Pereira Barty, que é coordenador da Comissão de Estudo Especial de Cloro-Soda (CEE-186) e membro da Comissão de Estudo de Produtos Químicos para Saneamento Básico, Água e Esgoto (CE-10:105.07) do ABNT/CB-10. 

A ABNT NBR 15784:2014 revisa a ABNT NBR 15784:2009. De acordo com Barty, “as revisões têm o objetivo de aperfeiçoar o processo e retirar produtos ou incluir substâncias que forem reconhecidas como potencialmente nocivas à saúde, bem como revisar os limites aceitáveis, sempre baseados na orientação do Ministério da Saúde”. A Comissão Setorial de Saneamento e Tratamento de Água da Abiquim trabalhou ativamente para a publicação dessa norma. Segundo o coordenador dessa comissão, José Eduardo Gobbi, o grupo foi o propulsor da primeira versão da regulamentação, há 12 anos. “Procurávamos uma normalização para o uso de produtos químicos na água potável, porque não existia nenhuma orientação a nível nacional”, conta Gobbi.

Hoje, todos os produtos químicos usados na água para consumo humano passam obrigatoriamente pelos requisitos da norma, inclusive os importados. De acordo com Gobbi, esta foi a primeira regulação feita pela indústria em conjunto com o órgão público e gera benefícios tanto para a indústria quanto para o consumidor final. Nesse sentido, Barty explica que conhecendo a água a ser tratada e dosando cada produto químico na quantidade recomendada, as empresas de saneamento têm mais previsibilidade da qualidade da água no processo final de tratamento e a sociedade será sempre a principal beneficiada. “A norma atende a realidade brasileira, porém com um conteúdo comparado em qualidade técnica aos melhores organismos de normalização do mundo”, garante Barty.

A Comissão de Saneamento e Tratamento de Água da Abiquim, junto com a Comissão de Estudo de Produtos Químicos para Saneamento Básico, Água e Esgoto do ABNT/CB-10, trabalha agora na elaboração de normas de aplicação de químicos no tratamento de água por produto específico. Para saber mais sobre a comissão, acesse:
http://www.abiquim.org.br/comissao/setorial/saneamento-e-tratamento-de-agua/sobre-a-comissao

Nenhum comentário: